110V ou 220V: Entenda as Diferenças

110V ou 220V: Entenda as Diferenças

Você sabe quais são as diferenças entre uma tensão e outra? Sabe como escolher a melhor opção? Escolher entre uma tensão de 110V ou 220V pode fazer toda a diferença.

Para entender melhor é só acompanhar nosso post e ficar por dentro.

Quais são os critérios para identificar o potencial elétrico de um sistema para 110V ou 220V?

Na hora de comprar um aparelho eletrônico novo, você sempre vê em sua descrição se o equipamento é 110V ou 220V, certo? E olha que ainda existem os aparelhos bivolt, ou seja, que aceitam os dois tipos de tensão.

Mas quando existe a separação, é difícil entender o porquê das duas opções. Nesse caso, antes de mais nada, é preciso saber qual é o padrão na sua casa, na sua cidade ou no seu Estado. Eventualmente, você já visitou outros lugares do Brasil em que as tomadas tinham uma tensão diferente, e certamente não foi a primeira pessoa a ficar na mão. Ficando, dessa forma, sem poder utilizar o secador de cabelo, o carregador de bateria ou o barbeador…

Porém, para começar a explicar essa diferença entre tensões, temos que explicitar o termo 110V. Ele é meramente coloquial, principalmente no Brasil. A engenharia avançou e esse valor de tensão que existia no passado não existe mais. Hoje, praticamente em todos os casos, a tensão é de 127V. Ou seja, por mais que falemos 110V, fisicamente e matematicamente, o valor real é 127V.

A grande questão é que os aparelhos 110V (127V), ou seja, de menores tensões,  apresentam uma corrente elétrica nominal (corrente de funcionamento) superior aos  de 220V, de maiores tensões. Sendo assim, esses equipamentos (de tensão 110V) não conseguem operar em um circuito elétrico que exige uma tensão superior devido à “falta” de corrente. Já o contrário não acontece: o aparelho 220V funciona em 110V.

As tomadas pelo Brasil são 110V ou 220V?

Conforme mencionado anteriormente, o Brasil foi um dos países que já tiveram sistemas com a tensão de operação 110V (hoje 127V), além daqueles de 220V, que sempre existiram e se mantiveram.

No Brasil, não há um padrão único para a tensão que chega às tomadas de áreas residenciais, comerciais e algumas indústrias. 

Vamos te explicar isso melhor: 

No final do século XIX e início do século XX, quando nossa rede elétrica começou a ser instalada,existiam por aqui várias companhias de diversas origens que tomaram conta de cada região do país. Isso quer dizer que o Brasil não teve uma convenção sobre a energia elétrica, devido ao fato de ser um país subdesenvolvido e “aproveitado” por grandes exploradores.

Sendo assim, algumas concessionárias seguiram influências dos seus países de origem. Por exemplo, nos EUA, o 110V sobressaía, e as regiões brasileiras que tiveram influências dos americanos, como o Sudeste, optaram por esse tipo de potencial elétrico.

Desde então, o mais comum era que tivéssemos  uma ou outra tensão disponível, mas, dependendo dos padrões de distribuição da concessionária local, ainda era possível ter as duas tensões em uma mesma instalação.

Os métodos das escolhas foram feitas com base, principalmente, na economia e segurança que um sistema poderia apresentar com relação ao outro.

A verdade é que todas as instalações de rede de transmissão e distribuição tendem a ficar mais baratas com transformadores e fiação de postes no 220V. No entanto,por questões de segurança, na maior parte do país usa-se o 110V. 

No Nordeste e no Sul do país, o sistema mais comum é o 220V, enquanto no Sudeste o 110V predomina, conforme já mencionado.  Já em Goiás e Brasília só se encontra o 220V. Por outro lado, no Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e em toda a região Norte, o 220V talvez só apareça em hotéis. Viu como é diversificado?

110V ou 220V: qual tem menor risco de choques e apagões?

Por ser uma tensão menor, as tomadas de 110V oferecem um menor risco para os desatentos, que podem colocar o dedo em plugues abertos e fios desencapados. Essa acaba sendo a principal razão para as escolhas por esse sistema.

Quando se trata de um apagão, ou seja, uma falha no fornecimento de energia elétrica ao consumidor, o sistema de 220V leva uma pequena vantagem por trabalhar com correntes menores. Já apagões gerais, crises de fornecimento e problemas maiores não são influenciados pelos sistemas de tensão.

Ainda vale destacar que o impacto que cada modelo cria para a geração de energia é o mesmo, nenhum sendo, então, mais ecologicamente correto que o outro.

110V ou 220V: qual é mais econômico?

Os circuitos de menores tensões (110V), por terem uma corrente elétrica maior em relação ao sistema 220V, apresentam uma composição de equipamentos dimensionados com maior segurança, como, por exemplo, cabos mais robustos.

Por outro lado, enquanto um preza pela segurança, o outro é mais econômico. Os materiais 220V são, então, menos vigorosos, e, consequentemente, mais em conta.

Você já deve saber que o consumo de energia é medido pela unidade quilowatt-hora (KWh), como consta na conta de luz, correto? Assim, uma vez que o quilowatt é uma unidade de potência, o que realmente importa é a potência consumida por cada aparelho e o tempo que os equipamentos ficam ligados.

O importante mesmo é saber identificar cada sistema disponível e trabalhar da melhor forma possível com cada um deles, dando preferência para a energia limpa, adequando as instalações e usando os aparelhos corretos. 

Não há nada mais vantajoso e estratégico do que o uso de energia limpa quando se trata de investimento e economia! 

Se esse artigo foi útil para você, não deixe de compartilhar em suas redes sociais. Outros usuários podem ter as mesmas dúvidas!

Revisado por:

SolarVolt Energia
SolarVolt Energia

Empresa especializada em Energia Solar


18 Respostas a “110V ou 220V: Entenda as Diferenças”

  1. Marcos goes disse:

    Ótimo trabalho!
    Após perder muito tempo na internet encontrei esse blog
    que tinha o que tanto procurava.
    Parabéns pelo texto e conteúdo, temos que ter mais
    artigos deste tipo na internet.
    Gostei muito.
    Meu muito obrigado!!!

    1. Raul Goulart disse:

      Oi Marcos, que bom que gostou do nosso conteúdo.

  2. felipe disse:

    O pessoal dos comentários está se equivocando e fazendo interpretações errôneas…
    Uma coisa é calcular P=V.I que no caso se elevar a tensão diminui a corrente para a mesma potêvncia fornecida.

    Já a outra forma seria V=R.I, NO CASO AUMENTA A VOLTAGEM AUMENTA A CORRENTE, PARA UMA RESISTÊNCIA ÔHMICA. Por isso que os aparelhos 110v queimam quando colocados em 220v. Passando mais corrente no aparelho acaba também passando mais energia,…. por isso queima.

    No primeiro caso comparando com a passagem da mesma energia…
    No segundo caso comparando com a passagem de diferentes energias

  3. Benedito A Rozario disse:

    Deixa eu ver se entendi, se o 220v gasta um pouco menos como você disse, porque o meu relógio anda mais depressa quando uso a furadeira e a torneira da pia de cozinha (que são 220v).

    1. SolarVolt Energia disse:

      Olá, Benedito! Muito obrigado por seu comentário! A classificação da fase não está relacionada ao seu consumo. Assim, uma coisa é a quantidade de energia que é consumida em sua residência. Outra coisa é a classificação de fase, que está relacionada à disponibilidade de carga. Caso tenha alguma dúvida, entre em contato com a gente! Abraço!

  4. Madruga disse:

    Outro mito é o de quanto maior a tensão menor a corrente.

  5. Madruga disse:

    O recebimento de uma descarga elétrica no corpo em uma rede de 220Volts é mais agressiva do que em 127volts, devido a corrente que ira percorrer este corpo ser maior. Isto se observa facilmente pela lei de Ohm U=R.I.
    E sempre quando for elevada a tensão proporcionalmente será elevada a corrente.

  6. Edson disse:

    O choque 110 v e mais agressivo pois ele tem baixa voltagem mais a carga ou seja a amperagem e bem mais alta que a 220v só isso que ficou errado. Voltagem é o nível de V amperagem e a velocidade e força que esse V vai percorrer

    1. SolarVolt Energia disse:

      Olá Edson!

      Muito obrigado pela sua contribuição. Iremos revisar nosso conteúdo com base em seu comentário!

      Forte abraço.

    2. Ailton disse:

      O choque elétrico não esta diretamente ligado apenas a tensão e sim a tensão dividido pela resistência do seu corpo, então considerando que a resistência do seu corpo seja valor X; V/X=A, sendo assim enquanto maior o valor da tensão , maior também será o valor da corrente, logo, o choque de 110V não é pior que o 220V, no caso seria outro mito.

  7. Isso é uma dúvida que muitos tem, até mesmo profissionais da elétrica.

  8. Sidney Colucci disse:

    Olá, a minha dúvida é qual a diferença de usar uma ferramenta elétrica na rede 110 volts ou na rede 220 volts, no caso de uma serra tico tico, se for usada em 220 volts terá um melhor desempenho ? sempre ouço que no caso de uma furadeira, o desempenho em 220 é melhor, mito ou verdade ?. Sem mais ,

    Atenciosamente,

    Sidney Colucci

  9. edson souza disse:

    uma prensa 3d 220 volts consome muito menos que uma 110 volts ou nao é tao grande a diferenca ,elas tem 2800 watss de potencia

    1. Neto Rodrigues disse:

      Olá, Miguel. Trabalho com a SolarVolt e agradecemos seu comentário!

      O que determinará seu consumo é a potência do equipamento e o tempo que este fica ligado. Como a potência é 2800 W, a tensão não influencia no consumo. A tensão é importante para cálculo da bitola de cabeamentos.

      Um abraço

  10. silvio disse:

    Parece razoavel supor que um aparelho realizaria um mesmo trabalho em menor tempo caso estivesse ligado em 220V ao invès de110V. O consumo seria em tese o mesmo, mas o tempo de processo poderia ser reduzido em determinadas operações, de acordo?

    1. Neto Rodrigues disse:

      Olá, Silvio. Trabalho com a SolarVolt e agradecemos seu comentário!

      O parâmetro que mede a capacidade de realizar o trabalho de um equipamento é a potência medida em Watts.

      Um abraço.

  11. SAMUEL MUDESTO disse:

    SEMPRE TIVE DUVIDAS ENTRE 110 E 220 … OBRIGADO, GOSTEI

  12. Francisco Jurandir de Melo disse:

    Excelente, em linguagem corrente, bastante compreensível a qualquer leitor.
    Obrigado.

Deixe um comentário

SAIBA MAIS SOBRE
ENERGIA SOLAR

Receba nossos e-mails com conteúdo sobre energia solar.