Conheça as novas tecnologias para aproveitamento da energia solar

Conheça as novas tecnologias para aproveitamento da energia solar

Você já ouviu falar sobre os benefícios do uso de fontes alternativas de energia? Em tempos de (nem tão) lento e contínuo esgotamento dos recursos naturais, só cresce o interesse por práticas sustentáveis do consumo desses bens. Isso sem contar a grande importância de se explorar técnicas inovadoras menos agressivas ao meio ambiente. E é aí que se inserem as novas tecnologias voltadas para a geração de energia, dentre as quais destacamos aquelas provenientes de uma fonte renovável e limpíssima: o sol.
A energia solar fotovoltaica e a energia heliotérmica, que se aproveitam da luz e do calor solar para a produção de energia elétrica, vêm sendo largamente estudadas na atualidade e crescendo sua base de investimentos no Brasil. E é por isso que apresentaremos, no post de hoje, essas novas tecnologias que possibilitam o aproveitamento da energia solar e esbanjam inovação e sustentabilidade. Quer saber mais? Então confira:

Células de filme fino: tecnologia que reduz custos e materiais

As células solares ou fotovoltaicas são dispositivos elétricos que habilitam a conversão direta da luz solar em energia elétrica. Unidas em série para formar módulos, essas células provocam o chamado efeito fotovoltaico para a geração de energia. Dentre os novos tipos de materiais empregados no processo, destaca-se a utilização de filmes finos de semicondutores. A tecnologia ainda conta com a grande vantagem de reduzir custos e materiais necessários para a construção do dispositivo.
Vale acrescentar que, nesse caso, as tecnologias e os materiais empregados podem ser diversos — como o silício monocristalino ou policristalino, a célula solar CIGS, o silício amorfo e o telureto de cádmio. Outra vantagem dos semicondutores de filme fino é sua menor demanda por suporte para posicionar os painéis — que podem ser dispostos em materiais flexíveis, como plásticos ou têxteis — nos telhados ao se gerar energia solar, o que possibilita uma maior variedade de aplicações. Interessante, não?

Energia solar de terceira geração: o promissor fotovoltaico orgânico

Os painéis fotovoltaicos orgânicos carregam uma tecnologia que vem fazendo a cabeça dos pesquisadores mundo afora: são as chamadas células solares de terceira geração, uma alternativa para substituir os tradicionais e pesados painéis produzidos com silício. Inovação na mira de grandes empresas do planeta, o fotovoltaico orgânico — ou OPV, na sigla em inglês — tem potencial para inúmeras aplicações, seja cobrindo fachadas de edifícios, carros e painéis publicitários, incrementando a autonomia de celulares e computadores ou mesmo integrando mochilas para a energização de aparelhos portáteis.
A promissora tecnologia lança mão de moléculas semicondutoras derivadas do carbono, que são posicionadas em um suporte de plástico ou de vidro para a formação de painéis que convertam diretamente a luz solar em eletricidade. Diante de tanto potencial, não é à toa que o OPV é considerado o futuro do fotovoltaico pelos especialistas, não concorda?

Energia heliotérmica: pauta de parceria entre Brasil e Alemanha

Também conhecida como energia solar térmica concentrada ou Concentrating Solar Power (CSP), a energia heliotérmica é uma tecnologia renovável de produção de energia elétrica que converte a irradiação solar direta em energia térmica e, posteriormente, em eletricidade. No processo, temperaturas acima de 1000°C podem ser atingidas.
Para se ter uma ideia do funcionamento de uma usina solar térmica concentrada, cabe dizer que ela possui duas partes: o ciclo de potência e o coletor térmico. Nesse sistema, espelhos de configurações diversas concentram os raios solares, sendo que no foco desses dispositivos há um fluido de trabalho que é aquecido com o calor da concentração. No ciclo de potência, esse fluido de trabalho é expandido em uma turbina ou, de forma alternativa, pode ser utilizado vapor em processos industriais.
Vale enfatizar que a energia heliotérmica é pauta de debate entre o Brasil e a Alemanha. Os países vêm discutindo um projeto que prevê o acordo para a introdução desse tipo de energia na matriz brasileira. A parceria com a Alemanha é bastante relevante, visto que o país possui um alto domínio tecnológico na área. O projeto, que envolve o estabelecimento de instrumentos, capacitação e pré-requisitos para a inclusão da energia heliotérmica na matriz energética brasileira, busca promover o desenvolvimento da indústria e da pesquisa nacional no setor, evidenciando a preocupação do país em investir em fontes renováveis de energia.

O desenvolvimento das tecnologias que promovem o aproveitamento da energia solar são um passo importante rumo a um modo de produção mais sustentável e conivente com as demandas atuais do nosso planeta. Vale a pena ficar de olho!

Agora que já está por dentro das novidades relacionadas às tecnologias que aproveitam a energia solar, comente aqui e compartilhe suas impressões conosco! Participe!

SolarVolt Energia
SolarVolt Energia

Empresa especializada em Energia Solar


Deixe uma resposta

SAIBA MAIS SOBRE
ENERGIA SOLAR

Receba nossos e-mails com conteúdo sobre energia solar.