4 informações técnicas e curiosidades sobre sistemas de energia solar

4 informações técnicas e curiosidades sobre sistemas de energia solar

Hoje vamos falar sobre algumas informações técnicas e curiosidades sobre sistemas de energia solar. Se você tem interesse no assunto, leia.

A utilização da energia solar tem crescido muito nos últimos anos não só no Brasil, mas em todo o mundo. Isso se deve, sobretudo, ao fato de que muitos investimentos foram feitos no sentido de aprimorar as tecnologias ligadas ao setor. Também porque o sol é uma fonte renovável de energia limpa, tornando a matriz energética mais sustentável.

Além disso, a captação e a distribuição de energia elétrica solar podem gerar uma enorme economia de recursos a longo prazo, sendo, por isso, bastante atrativa do ponto de vista financeiro.

No Brasil, porém, o aproveitamento da energia solar ainda vem ocorrendo de forma bastante tímida, principalmente se comparado a países como a Alemanha, por exemplo.

A importância da abordagem do tema se justifica pelo imenso potencial que nosso país tem em relação ao aproveitamento dessa riquíssima fonte devido a nosso posicionamento geográfico.

Com forte incidência solar durante todo o ano e muitas regiões com baixa densidade populacional, o Brasil é um cenário perfeito para o crescimento desse mercado!

Com esse panorama em mente, resolvemos elaborar este post a fim de expor algumas curiosidades e informações técnicas a respeito do tema. Ficou curioso? Então confira:

Volt-amperes x watts

Encontra-se, frequentemente, inversores graduados em volt-amperes (VA) em vez de em watts.

Quando se pensa em uma resistência perfeita, as duas unidades essencialmente apontam valores compatíveis, já que existe uma relação linear entre a tensão e a corrente, certo?

No entanto, em muitas aplicações — como nos motores, por exemplo — essa relação não existe.

Dessa forma, o motor pode estar usando apenas 100 watts para realizar seu trabalho, mas o aparelho indica uma potência aparente de 150 VA.

Bloqueio x díodos de derivação

Muitos manuais e artigos — especialmente os mais antigos — recomendam a utilização de diodos bloqueadores para evitar corrente inversa e fluxo de volta para o painel durante o período da noite.

Atualmente, no entanto, o tema tem sido objeto de algumas reavaliações, à medida que se perde mais energia com os diodos do que com eventuais vazamentos noturnos para o painel.

Na verdade, essa análise deve ser realizada caso a caso.

Porém, como regra geral, vale manter a postura da não utilização dos diodos, especialmente em sistemas 12 volts.

Há, evidentemente, exceções, caso dos equipamentos que possuem uma película fina em que o painel é conectado diretamente à bateria, por exemplo.

Mais uma comprovação de que é preciso avaliar cada caso separadamente.

Controle de carregamento x configurações de bateria

Você sabia que a maioria das baterias utilizadas em sistemas solares é do tipo chumbo-ácido?

O projetista, ainda na fase de planejamento, deve conhecer as diferenças existentes entre cada um dos tipos de baterias disponíveis no mercado para otimizar sua utilização e prolongar sua vida útil.

Depois de devidamente instaladas, não se deve mais mexer nas baterias, a não ser em caso de necessidade.

De qualquer maneira, melhor chamar um especialista, ok?

Calor x geração de energia

Aqui vai um recado importante: o usuário brasileiro, dependendo de onde esteja situado, deve tomar muito cuidado com a temperatura de sua placa, já que se sabe que temperaturas elevadas fazem com que as células produzam cada vez menos energia útil.

Os painéis solares mais comuns utilizados geram cada um entre 26 e 30 Volts e cerca de 250W de energia em temperatura ambiente, mas podem perder até 20% de sua capacidade em temperaturas superiores a 65º C.

Em uma placa funcionando em condições ideais, cerca de 14% da energia solar é convertida em eletricidade, enquanto 7% é refletida e o restante finalmente vira calor.

Assim, é fundamental que toda placa tenha sob ela um espaço para circulação de ar, além, claro, de o usuário precisar escolher as opções mais adequadas ao clima da região em que deseja instalar seus painéis.

Vale dizer que essas são apenas algumas das especificidades técnicas que o projetista deve sempre estar de olho, já que a atenção aos detalhes técnicos é fundamental para o bom funcionamento dos equipamentos captadores de energia solar.

Nesse sentido, é preciso ressaltar a importância de o consumidor escolher muito bem quem vai desenvolver seu projeto e sua instalação, profissional esse que, por sua vez, precisa decidir por um fornecedor confiável, para que possa contar com a ajuda de um especialista no momento da aquisição de suas placas.

Sua vez

Agora comente aqui e nos conte se ainda ficou alguma dúvida ou se tem algum dado interessante para acrescentar e enriquecer nosso artigo. Compartilhe seus questionamentos e conhecimentos conosco! Participe!

SolarVolt Energia
SolarVolt Energia

Empresa especializada em Energia Solar


2 Respostas a “4 informações técnicas e curiosidades sobre sistemas de energia solar”

  1. Paulo disse:

    Um amigo me perguntou.
    A minha conta de energia (CEMIG), o consumo de 1 mês é apresentado como 22.080 Kwh.

    Considerando Kw(horas) certamente não é correto dizer que o consumo foi 22.080 Kwh x 720 horas/mês = 15.897.600 Kw consumidos ou seja 15,89 Gw.

    Considerando que 1.000kw são 1 Mw, este consumo também não é 22,08 Mw?

    Como posso esplicar a ele, este consumo?

    1. SolarVolt Energia disse:

      Olá Paulo, boa tarde!

      Obrigada pelo comentário.

      O consumo de 22.080 kWh/mês registrado na conta de energia é o produto da potência das cargas ligadas no local (kW) * Horas de funcionamento durante o mês(h).
      Exemplificando: Um Chuveiro de 5400 W ou 5,4 kW sendo usado 15 min todos os dias dariam 7 horas por mês um consumo mensal de 37,8 kWh/mês.

      Estamos à disposição.

Deixe um comentário

SAIBA MAIS SOBRE
ENERGIA SOLAR

Receba nossos e-mails com conteúdo sobre energia solar.