Descarbonização Do Ar: Entenda O Papel Da Energia Solar Na Redução De Co2 Na Atmosfera

Descarbonização Do Ar: Entenda O Papel Da Energia Solar Na Redução De Co2 Na Atmosfera

Descarbonização do ar é a redução da emissão de gás carbônico derivado da queima de combustíveis fósseis para a atmosfera. O aumento nos níveis de gás carbônico é um dos principais responsáveis, hoje, pela intensificação do efeito estufa. 

Hoje, é praticamente impossível obter sucesso se seu projeto não levar em conta o impacto que um empreendimento pode causar no meio ambiente. Cada vez mais, instituições e sociedade civil se preocupam com a pegada ecológica e promover a sustentabilidade pode ser a chave para que seu negócio encontre um lugar de destaque no mercado.

Nesse contexto, a descarbonização do ar vem sendo apontada como o principal objetivo para a utilização de fontes alternativas de energia em um projeto. Mas, você sabe qual a relação entre a escolha de fontes de energia limpa como a radiação solar e a diminuição do gás carbônico na atmosfera?

Neste artigo, vamos explicar: 

  • O que é energia limpa?
  • O que é descarbonização do ar? 
  • O que é descarbonização da economia? 
  • Como a energia solar contribui para a descarbonização do ar? 

Siga conosco e boa leitura!

O que é energia limpa?

Energia limpa é aquela cuja geração não libera gases poluentes na atmosfera e causa o mínimo de prejuízo ao meio ambiente. Por ser mais sustentável, esse tipo de energia tem ganhado espaço, em detrimento daquela oriunda da queima de combustíveis fósseis, como carvão, petróleo e gás natural, que libera substâncias intensificadoras do efeito estufa. 

As fontes de energia limpa também são chamadas de renováveis, já que elas são reabastecidas abundantemente e de forma cíclica pela natureza. Os combustíveis fósseis, ao contrário, podem demorar milhões de anos para se regenerar. 

São exemplos de energia limpa:

Biomassa

Ilustração: Macrovector – br.freepik.com

Todo resíduo orgânico de origem animal ou vegetal que pode ser utilizado para a produção de energia é chamado de biomassa. 

Um dos prodessos de produção da energia de biomassa é a pirólise (decomposição em altas temperaturas), gaseificação, combustão ou co-combustão. É considerada uma fonte de energia dispersa e de baixa eficiência. Há também o processo de queima do biogás gerado pela biomassa. Nesse caso, a matéria orgânica é aproveitada na compostagem. 

Eólica

Ilustração: Macrovector – br.freepik.com

No sistema eólico, a energia elétrica é gerada a partir da força dos ventos. Hélices instaladas no alto de torres se movimentam de acordo com a intensidade dos ventos, gerando uma força motriz nas turbinas, e, assim, produzindo energia. 

Normalmente, as usinas eólicas demandam grandes áreas para sua instalação. Assim, podem causar impactos ao meio ambiente, devido ao desmatamento da vegetação nativa.

Geotérmica

Ilustração: Macrovector – br.freepik.com

O calor interno da Terra também é uma fonte de energia. Na geração geotérmica, usinas são instaladas em regiões onde esse calor está mais próximo da superfície. Então, por meio de dutos, é injetada uma grande quantidade de água no solo, que, ao se transformar em vapor, aciona as turbinas do sistema e produz energia. 

Esse tipo de energia ainda tem um custo alto para implantação e pode acabar não sendo tão sustentável: em zonas mais frias, é necessária a utilização de anti-gelificantes, que emitem gases poluentes como clorofluorcarbonetos (CFCs) e hidrofluorocarbonetos (HCFCs).

Hídrica

Ilustração: Macrovector – br.freepik.com

Provavelmente a mais conhecida pelos brasileiros, uma vez que o Brasil é o país com o maior potencial hidrelétrico do mundo. Nesse tipo de geração, o sistema aproveita a energia cinética do fluxo de massas de água para rotacionar suas turbinas e produzir energia elétrica. 

Embora seja considerada limpa, estudos apontam que esse tipo de geração pode emitir gases causadores do efeito estufa, como o metano. Além disso, a construção de represas pode causar desequilíbrios no ecossistema da região e provocar problemas sociais, como desapropriação e retirada de moradores da área.

Maremotriz

Ilustração: Macrovector – br.freepik.com

Também conhecida como energia das marés, a energia maremotriz é oriunda do movimento das ondas. São instaladas turbinas próximas ao litoral e, por meio de hélices, a força da água é captada e transformada em energia elétrica. Apesar de suas vantagens, o custo de instalação acaba sendo um empecilho para a instalação desse tipo de sistema.

Solar

Ilustração: Macrovector – br.freepik.com

A radiação solar é o recurso natural mais abundante e com maior disponibilidade em todo o planeta. Dessa forma, a energia advinda do Sol se apresenta como a melhor opção para geração de energia elétrica. 

A instalação de um sistema fotovoltaico é prática e mais barata que as demais opções. Além disso, o sistema é versátil e pode ser instalado em praticamente qualquer espaço e não há geração de resíduos para além das próprias placas solares.

Dessa forma, a energia solar é a melhor escolha para quem busca, além de eficiência, a sustentabilidade em seu empreendimento. 

Você pode conferir as fontes alternativas que compõem a matriz energética do Brasil no post do nosso blog:

O que é a descarbonização do ar?

A utilização de combustíveis fósseis para geração de energia significou uma grande revolução para a indústria mundial em termos de avanços tecnológicos e produtivos. No entanto, à época em que começaram a ser usados, pouco se considerou a quantidade de poluentes liberados no processamento dessas substâncias e as consequências de seu acúmulo ao redor do nosso planeta.

Quando carvão, petróleo ou outros combustíveis do gênero são queimados para gerar energia, eles emitem gás carbônico (CO2) na atmosfera. O gás, por sua vez, altera a composição do ar que envolve a Terra, criando buracos na camada de ozônio. Dessa forma, a superfície terrestre fica mais vulnerável à ação dos raios solares.

Assim, a descarbonização é a busca por reduzir e, a longo prazo, eliminar as emissões de gás carbônico causadas por atividades de pessoas e empresas. Para isso, tem-se buscado criar uma infraestrutura tanto na indústria como na sociedade de forma geral em que haja redução e compensação da liberação de CO2 no ar. É aí que entram as energias limpas e, em especial, a solar, como falaremos adiante.

O que é descarbonização da economia?

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), a transformação dos processos produtivos para conter impactos ambientais é essencial para a manutenção da vida na Terra. Em função disso, a organização incluiu em seus Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) a meta de  “Tomar medidas urgentes para combater a mudança climática e seus impactos”. 

Para que a redução e eventual eliminação da emissão de gases causadores do efeito estufa se torne real, é indispensável o engajamento da Indústria. Dados da Organização Meteorológica Mundial (OMM) apontam que desde o início do processo de industrialização da sociedade, o planeta está 1 grau mais quente. Caso não haja uma drástica redução na liberação de CO2 na atmosfera, a temperatura pode subir entre 3 e 5 graus até 2100.

Dessa forma, torna-se fundamental o conceito de descarbonização da economia. Estudos apontam que os esforços para que isso aconteça devem ser concentrados em três tópicos:

  • Otimizar: tornar o uso de energia mais eficiente;
  • Eletrificar: fazer a transição da energia de combustíveis fósseis para a energia elétrica;
  • Descarbonizar: incentivar a transição para fontes de energias limpas.

Assim, devem ser implementadas frentes de trabalho que atuem em diversas áreas, como no tratamento de resíduos e, claro, na produção de energia. O investimento em fontes de energia limpa é um dos caminhos mais rápidos e baratos para a descarbonização. 

Eletricidade: o caminho para uma descarbonização eficiente

Diminuir os níveis de carbono na atmosfera com o menor custo possível é o maior desafio para que o processo de descarbonização da economia seja estabelecido de forma eficiente. Nesse contexto, a produção de energia elétrica é peça-chave.

Além de ser responsável por 80% dos gases causadores do efeito estufa na atmosfera atualmente,  o setor de energia elétrica possibilita a maior integração de energias renováveis, tornando-se a opção para descarbonizar outras indústrias com menor custo. 

Ou seja, a transformação desse sistema tem potencial para acelerar o processo em usos finais como aquecimento, refrigeração e transporte.

Assim, a descarbonização da indústria de geração de energia elétrica se apresenta como o caminho mais prático para uma transição energética eficiente. Para isso, é indispensável a utilização de fontes de energia limpas, como a energia solar.

Ilustração: pch.vector – br.freepik.com

Como a energia solar contribui para a descarbonização do ar? 

O investimento em energia solar tem sido um dos propulsores do processo de descarbonização em todo o mundo. Isso se dá em função de todas as vantagens apresentadas por esse tipo de sistema. 

Além de limpa, a energia obtida por meio da radiação solar é abundante, tem baixo custo de manutenção e pode ser instalada até nos lugares mais remotos.

Um sistema fotovoltaico tem vida útil de, em média, 25 anos. Como não há produção de substâncias poluentes durante seu funcionamento, apenas um desses sistemas evita a emissão de mais de 100 toneladas de gás carbônico na atmosfera. 

Imagine, então, o potencial de redução das emissões de poluentes se a maior parte dos sistemas de geração de eletricidade utilizassem a radiação solar? No Brasil, um maior aproveitamento dos espaços pode tornar esse cenário uma realidade.

O potencial brasileiro

A energia solar é considerada uma das fontes de energia limpa mais promissoras no Brasil. De acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), o potencial de geração desse tipo de energia no país poderia chegar a 28 mil gigawatts-peak (GWp), se todas as áreas com melhores índices de insolação fossem aproveitadas. 

Se a área da usina de Itaipu, por exemplo, fosse utilizada para a instalação de placas fotovoltaicas, seria possível produzir duas vezes mais energia. Ou seja, a energia solar não só é melhor para o planeta, como é mais eficiente.

Além disso, a diminuição dos custos vem tornando a energia fotovoltaica uma das opções mais econômicas para instalação. Hoje, a energia solar fotovoltaica é a segunda mais barata no Brasil.

Sendo assim, a energia solar é a melhor escolha para quem deseja que seu negócio seja mais eficaz, econômico e alinhado a todos os critérios de sustentabilidade necessários para garantir um futuro melhor para nosso planeta.

Ficou interessado em utilizar a energia solar no seu projeto? A SolarVolt pode auxiliar você em todas as etapas desse processo. Com 1500 projetos homologados em nosso portfólio em 11 estados brasileiros, nós somos especialistas em elaborar e instalar projetos de energia fotovoltaica. 

Nossos clientes têm perfis que vão desde residências e condomínios residenciais até fazendas e grandes indústrias. Em cada caso, analisamos a necessidade do cliente e as condições do terreno e elaboramos uma solução personalizada. 

Solicite seu orçamento pelo nosso site! Nossa equipe está à disposição para ajudar você a se tornar parte da mudança para uma cultura energética mais sustentável e eficiente.

Revisado por:

SolarVolt Energia
SolarVolt Energia

Empresa especializada em Energia Solar


Deixe um comentário

SAIBA MAIS SOBRE
ENERGIA SOLAR

Receba nossos e-mails com conteúdo sobre energia solar.