Energia solar em fachada: torne seus projetos mais sustentáveis com BIPV

Energia solar em fachada: torne seus projetos mais sustentáveis com BIPV

A energia solar em fachada, como os Sistemas Fotovoltaicos Integrados, conhecidos pela sigla BIPV (Building Integrated PhotoVoltaics), estão redefinindo a forma como concebemos e utilizamos a energia solar em projetos de construção civil. Incorporando células fotovoltaicas diretamente em elementos arquitetônicos como fachadas, brises, janelas, claraboias, grades, marquises e coberturas, o BIPV substitui materiais convencionais, proporcionando não apenas uma função estética, mas também benefícios energéticos e de conforto. 

Este artigo explora em detalhes a aplicação da energia solar em fachadas, suas vantagens e os tipos de células solares mais comuns, mostrando como essa tecnologia pode transformar suas construções em verdadeiros exemplos de sustentabilidade e eficiência.

O que são Sistemas Fotovoltaicos Integrados (BIPV)?

Os sistemas BIPV são multifuncionais, permitindo a geração de energia elétrica ao mesmo tempo em que oferecem sombra, isolamento térmico e acústico. Isso resulta em um interior mais confortável sem comprometer o visual da edificação. Os BIPV podem ser aplicados em diversos tipos de imóveis, incluindo residenciais, comerciais e industriais, tornando-os uma solução versátil para qualquer projeto.

BIPV como tendência na arquitetura sustentável

A sustentabilidade tem se tornado um valor essencial no mercado imobiliário, e a arquitetura busca constantemente soluções inovadoras para atender a essa demanda. O uso de paineis fotovoltaicos integrados à construção não só atende a esses requisitos, como também associa tecnologia, design e economia em projetos mais sustentáveis. Edificações construídas com o conceito “energia zero” podem se beneficiar enormemente dos BIPV, variando de acordo com o tipo de célula solar utilizada.

Tipos de aplicações do BIPV

O mercado de energia fotovoltaica está em constante crescimento, impulsionado por pesquisas e desenvolvimento de novas tecnologias. Entre as células solares mais comuns para painéis fotovoltaicos integrados à construção, destacam-se:

  1. Painel solar de silício: inclui variantes como silício amorfo, cristalino, nanocristalino, monocristalino e policristalino.
  2. Painel solar de filme fino: telureto de Cádmio, Seleneto de Cobre, Índio e Gálio são exemplos dessa categoria.
  3. Células solares orgânicas (OPV): uma tendência no Green Building, essas células são feitas de materiais não tóxicos e podem ajudar a neutralizar a pegada de carbono.
  4. Painel solar híbrido: combina diferentes tipos de células solares para maximizar a eficiência energética.

Vantagens das células solares orgânicas

As células solares orgânicas, ou OPV (Organic PhotoVoltaics), são uma excelente opção para edifícios sustentáveis. Estas células produzem eletricidade a partir da luz solar através de um processo fotovoltaico e são conhecidas por sua flexibilidade e leveza. Um dos grandes atrativos dos OPV é a sua capacidade de serem aplicados como revestimentos em superfícies planas ou curvas, permitindo maior liberdade criativa aos arquitetos.

Os filmes fotovoltaicos orgânicos, feitos de plástico e impressos com tinta orgânica, liberam elétrons ao entrar em contato com a radiação solar, gerando corrente elétrica. São até 40 vezes mais leves, 50% mais translúcidos e 100% flexíveis em comparação aos painéis solares convencionais, o que os torna ideais para aplicações em fachadas.

Incorporando painéis fotovoltaicos nas fachadas

A fachada de um edifício é crucial para sua integração ao entorno, segurança, privacidade e conforto dos usuários. Incorporar painéis fotovoltaicos nas fachadas pode ser feito de várias maneiras, como frontal, posterior ou lateral, aumentando a eficiência energética do imóvel e reduzindo a necessidade de climatização e iluminação artificiais.

Os painéis fotovoltaicos orgânicos (OPV) oferecem a possibilidade de personalização extrema, podendo ser fabricados em diversas formas e cores para se adequar ao estilo do projeto arquitetônico.

Custo e retorno do investimento

O custo inicial de um sistema fotovoltaico integrado à fachada é comparável aos sistemas fotovoltaicos tradicionais, com a principal diferença sendo os vidros especiais e a “película” fotovoltaica que os recobre. Dependendo do estilo arquitetônico e da metragem da fachada, essa diferença pode chegar a 40%.

O processo de implementação inclui etapas como:

  1. Desenho do projeto: planejamento e design detalhado.
  2. Instalação do vidro personalizado: incorporando os elementos fotovoltaicos.
  3. Ajustes de engenharia mecânica e elétrica: garantindo o funcionamento adequado.
  4. Inicialização do sistema: colocando o sistema em operação.
  5. Monitoramento: Acompanhando o desempenho para manutenção e ajustes.

O retorno do investimento para painéis integrados (BIPV) é estimado entre três a cinco anos, semelhante aos painéis fotovoltaicos tradicionais. A economia gerada pela tecnologia é significativa, especialmente em edificações comerciais e industriais, que possuem alta demanda energética.

Sustentabilidade e eficiência

Os BIPV são aliados essenciais para a sustentabilidade em projetos arquitetônicos. Especialmente com as células fotovoltaicas orgânicas (OPV), que são compostas de materiais não tóxicos, cada metro quadrado instalado pode evitar a emissão de até 120 kg de dióxido de carbono na atmosfera por ano.

O avanço contínuo na tecnologia fotovoltaica, com novos materiais e aplicações, promete um futuro ainda mais eficiente e sustentável. O BIPV não apenas moderniza esteticamente os edifícios, mas também contribui significativamente para a redução de custos energéticos e impacto ambiental.

Leia também: 

Energia solar em empresas: como reduzir custos do seu negócio

BIPV e sustentabilidade

O BIPV colabora efetivamente para a sustentabilidade dos projetos de arquitetura! No caso de aplicações de células fotovoltaicas orgânicas (OPV), composto de materiais não tóxicos, cada m² instalado é capaz de evitar a emissão de 120 kg de Dióxido de Carbono na atmosfera, por ano!

O sistema de energia solar fotovoltaica já não é novidade e a evolução dessa tecnologia tem caminhado a passos largos com a descoberta e o desenvolvimento de novos materiais e suas aplicações. Gostou do nosso artigo sobre o uso de paineis fotovoltaicos na fachada? Confira uma aplicação da tecnologia BIPV feita pela SolarVolt Energia, na sede da TOTVS em São Paulo: 

Quer saber mais sobre esse projeto? Leia o nosso case de sucesso para saber detalhes desde a concepção até a instalação do sistema! 

SolarVolt Energia
SolarVolt Energia

Empresa especializada em Energia Solar


3 Respostas a “Energia solar em fachada: torne seus projetos mais sustentáveis com BIPV”

  1. hetbalanseer disse:

    Obrigado, nobres!

  2. Muito legal a matéria. Com a escassez de chuva e a conta de luz ficando cada vez mais cara, a solução é utilizar a energia solar.
    Parabéns pelo artigo!!

    1. SolarVolt Energia disse:

      Olá, Flávia! Muito obrigado por seu comentário! Realmente, a energia solar vale muito a pena!

Deixe um comentário

SAIBA MAIS SOBRE
ENERGIA SOLAR

Receba nossos e-mails com conteúdo sobre energia solar.