Energia solar: preço é influenciado pela variação cambial

Energia Solar: Preço É Influenciado Pela Variação Do Preço Do Dólar?

Energia Solar: Preço É Influenciado Pela Variação Do Preço Do Dólar?

Quando o assunto é energia solar, preço é um dos primeiros fatores que as pessoas têm curiosidade de saber. O valor pago por esse tipo de energia pode variar muito, e a cotação do dólar é um dos elementos mais voláteis dessa equação. 

Mas, para entender melhor o peso dessa variável, é interessante analisar por completo os principais números tanto do investimento necessário para gerar energia solar como dos custos totais sem ela.

O objetivo deste artigo é esclarecer objetivamente qual o real impacto do preço do dólar em um sistema fotovoltaico e porque, mesmo com o real desvalorizado, ainda vale a pena apostar na relação entre energia solar e economia. Por isso, preparamos este artigo, que vai cobrir os seguintes tópicos: 

  • A composição do preço de um sistema fotovoltaico
  • Alta do dólar e energia solar: o preço muda? 
  • Com a alta do dólar, a energia solar ainda tem viabilidade?
  • Vantagens da energia solar fotovoltaica: muito além do preço
  • Quanto é preciso investir para se beneficiar com a geração de energia solar?

Então vamos entender melhor como a moeda americana influencia no preço da nossa energia solar aqui no Brasil? Boa leitura!

A composição do preço de um sistema fotovoltaico

Para não ter surpresa com os valores, antes de qualquer investimento em um sistema fotovoltaico é fundamental planejar bem, tanto para dimensionar um sistema compatível com a sua demanda energética, quanto para identificar a viabilidade financeira/econômica do projeto. 

Normalmente, os sistemas fotovoltaicos não exigem intervenção civil. Portanto, considerando que não seja necessário nenhum tipo de intervenção, o investimento pode ser dividido em quatro grupos principais: instalação, inversor, painéis solares e outros materiais. 

Para instalações off-grid, ou seja, desconectadas da rede, também é preciso considerar os custos com as baterias.

Instalação

A instalação, que será feita com mão-de-obra local, não sofre impactos diretos relacionados à cotação do dólar e pode representar algo como 20% do valor total do investimento. O valor do serviço varia significativamente entre os diversos fornecedores, mas é um erro tentar economizar aqui e buscar o mais barato.

A recomendação é sempre buscar por instaladores com vasta experiência que ofereçam serviços garantidos, para não colocar em risco os equipamentos e as pessoas. Instalação elétrica é um trabalho sério e deve ser realizado apenas por profissionais especializados.

Outros materiais

Além da instalação, muitos dos materiais mais baratos utilizados na instalação do sistema fotovoltaico são de fabricação nacional e, por isso, não variam o preço significativamente com a alta do dólar. 

Cabos de energia, conectores, disjuntores, suportes de painéis e outros estão nesta categoria. Normalmente, esses materiais não chegam a 10% do valor total do investimento.

Inversores e painéis fotovoltaicos 

Já os inversores e painéis fotovoltaicos são equipamentos importados e, por isso, ficam mais caros quando o dólar sobe. Juntos, os dois representam mais da metade de um investimento na geração de energia solar, sendo que, dependendo do tamanho do sistema fotovoltaico, esse custo pode passar dos 70%.

Mas, ao mesmo tempo em que o dólar escalou novos patamares nos últimos anos, os valores de investimento em sistemas fotovoltaicos ficaram menores. Isso porque, com o avanço das tecnologias e a modernização da produção em massa, os painéis ficaram bem mais baratos no preço absoluto do mercado internacional, em dólares. 

Por outro lado, os inversores não ficaram mais baratos no preço em dólar e são o equipamento individual mais caro de todo o sistema.

Baterias

Para quem pretende instalar um sistema off-grid, ou seja, desconectado das redes externas de concessionárias de energia, também é preciso levar em conta o valor das baterias. Elas vão armazenar a energia excedente produzida ao longo do dia para que sejam utilizadas durante a noite.

Nesse caso, é bem provável que as baterias e a estrutura para sua acomodação se tornem a principal despesa, muitas vezes passando de 50% do investimento total. Ainda que o valor das baterias não acompanhe diretamente a oscilação do preço do dólar, elas são relativamente caras, o que faz que a instalação conectada à rede seja mais econômica, quando é possível.

Alta do dólar e energia solar: o preço muda? 

Conhecendo melhor os principais fatores que compõem o investimento total de um sistema fotovoltaico, fica mais fácil entender como a volatilidade do dólar afeta o valor da energia solar. Quanto menos valorizado o real, mais cara a compra de painéis fotovoltaicos e inversores fica por aqui. Mas existem alguns detalhes que merecem atenção.

Como já foi dito anteriormente, a tendência natural dos preços dos painéis solares é de queda, já que a tecnologia está se barateando e cada vez mais fornecedores internacionais entram neste mercado, aumentando a concorrência e pressionando ainda mais os valores. Por isso, é normal que uma alta no dólar de 5% em um período, por exemplo, não signifique um aumento de 5% no preço do painel solar.

Por outro lado, o valor dos inversores em dólar não varia tanto. Portanto, é esperado que qualquer oscilação no dólar seja sentida diretamente no preço do equipamento. O inversor é o cérebro e o coração de um sistema fotovoltaico, por isso, não é recomendável pensar em economizar aqui.

Por fim, muitas vezes as oscilações no mercado de câmbio são absorvidas, pelo menos em parte, pela cadeia de distribuição como um todo, o que ajuda também a minimizar o preço para o consumidor final.

Levando em consideração que os módulos fotovoltaicos e inversores representam entre 40% a 70% do investimento de um sistema de energia solar, que parte da volatilidade do dólar é absorvida pela cadeia de distribuição e que os painéis estão mais baratos na China, principal fornecedora, é seguro dizer que o impacto da alta do dólar é significativo, mas não é crítico.

Mesmo com a valorização extremamente acelerada do dólar em consequência do enfraquecimento da economia nacional, pandemia do novo coronavírus e crise política, os investimentos totais em sistemas fotovoltaicos continuaram relativamente estáveis, com variação de aproximadamente 15%. Em muitos casos, até menos que isso.

Com a alta do dólar, a energia solar ainda tem viabilidade?

Mesmo com o dólar extremamente valorizado em relação ao real, o investimento em energia solar continua valendo a pena. Entre 2013 e 2021 o valor da tarifa média residencial de energia elétrica aplicada no Brasil ficou até 90% mais caro. Mesmo com o salto do dólar, que saiu de uma cotação de R$ 2,20 para algo próximo a R$ 5,60, o custo total do investimento não onerou tanto quanto a energia vendida pelas concessionárias.

Um valor elevado do MWh faz com que o investimento na geração própria compense mais e se pague em menos tempo. Se alguém que paga mensalmente R$ 200,00 na conta de luz investe R$ 15.000,00 em um sistema fotovoltaico para praticamente zerar suas faturas, em menos de 6 anos e meio o valor do investimento já terá sido menor que o montante que seria pago nas contas.

Mas, como o investimento leva em consideração os valores do momento em que ele é realizado, e a tarifa de energia só aumenta ao longo desses anos, é muito provável que o abatimento do valor investido aconteça ainda antes.

Vantagens da energia solar fotovoltaica: muito além do preço

A economia é apenas uma das vantagens da energia solar. Quem investe em painéis fotovoltaicos também ajuda a minimizar os impactos ambientais da geração de energia, garantindo que o seu consumo venha a partir de uma fonte renovável e, em termos práticos, inesgotável.

A preservação do meio ambiente acontece mesmo no Brasil, que se apoia principalmente na geração de energia hidrelétrica, que é limpa e renovável. Com a microgeração de energia solar, o consumidor minimiza a pressão pela expansão do parque gerador, que normalmente requer grandes obras e represas que impactam significativamente os ecossistemas locais.

Além disso, a microgeração também reduz desperdícios em redes de transmissão e possibilita um consumo de energia mais racional e distribuído, aliviando o uso intenso da infraestrutura coletiva.

Por fim, a energia solar também representa mais independência para o consumidor, que deixa de depender da concessionária em determinados casos, por exemplo em sistemas híbridos. 

Isso significa que, mesmo se acontecer algum incidente na rede, como a queda de uma árvore na fiação, o consumidor que tem um sistema híbrido continua sendo abastecido normalmente com a energia pelo seu sistema fotovoltaico e/ou seu banco de baterias.

Para ter liberdade total, é possível ainda se desconectar totalmente da rede elétrica e investir em um sistema off-grid. Dotado de baterias, elas armazenam a energia gerada durante o dia e permitem que ela seja utilizada durante a noite, quando o sistema fotovoltaico não gera energia. Quem vive em um local isolado ou quer independência completa da rede pode investir neste sistema.

Imagem: Freepik

Quanto é preciso investir para começar a gerar energia solar?

Para quem está pensando em investir em energia solar, preço é uma das primeiras coisas pesquisadas. No entanto, para saber quanto é preciso investir para gerar energia solar é preciso, antes de tudo, saber um pouco mais sobre o projeto. 

A estimativa do valor é dada depois de conhecer as demandas de eletricidade do investidor e o potencial de geração do local. Com essas informações, é possível dimensionar o sistema e, aí sim, calcular o valor que precisa ser investido.

Nesta conta entram os custos com materiais, painéis, inversores, serviço de instalação e outros gastos eventuais com mudanças burocráticas na concessionária ou adaptações no imóvel que receberá o sistema fotovoltaico. A principal recomendação aqui é não perder tempo e correr riscos tentando resolver tudo por conta própria. 

Com o suporte da Solarvolt, especializada em energia solar, é possível contar com o apoio de  técnicos com vasta experiência em instalações fotovoltaicas que utilizarão seu conhecimento afiado pela prática de anos para assegurar o melhor resultado para o investimento, eliminando qualquer possibilidade de desperdícios.

Investir em um sistema solar faz com que a conta de luz deixe de ser um custo variável e se torne uma despesa fixa e previsível para pessoas e empresas. A energia solar é sustentável, não gera ruídos e a manutenção é simples e barata: basta limpar os painéis regularmente.

Por fim, o investimento em energia solar protege o investidor contra os aumentos do custo de energia no país, que ultrapassam a inflação. Mesmo com as oscilações do dólar, quando falamos em energia solar, o preço  continua compensando e, uma vez adquiridos, os equipamentos podem operar por até 35 anos.

Na SolarVolt, temos toda a infraestrutura e o conhecimento para ajudar você a implementar o seu projeto de energia solar fotovoltaica. Com quase 10 anos de experiência, já homologamos mais de 1100 projetos em mais de 150 cidades de todo o Brasil. 

Em nossa equipe, estão engenheiros e técnicos altamente qualificados e sempre atualizados. Assim, eles estão sempre prontos para oferecer as soluções mais modernas em termos de equipamentos e técnicas, mas também são capazes de orientar você quanto à regulamentação em vigor no país. 

Quer saber o valor exato do seu investimento para gerar energia solar? Entre em contato e faça um orçamento!

Revisado por:

SolarVolt Energia
SolarVolt Energia

Empresa especializada em Energia Solar


Deixe uma resposta

SAIBA MAIS SOBRE
ENERGIA SOLAR

Receba nossos e-mails com conteúdo sobre energia solar.