Entenda por que o sombreamento parcial pode ser ruim para painéis de energia solar

Entenda por que o sombreamento parcial pode ser ruim para painéis de energia solar

Encontrar formas de reduzir ao máximo o impacto ambiental, fazendo o uso adequado de recursos renováveis, é uma exigência dos tempos atuais. Nesse cenário, uma das opções se apresenta na geração de energia de forma sustentável, derivada de recursos naturais renováveis. E é aí que entram os painéis de energia solar.
Mais acessíveis e práticos, esses painéis captam e transformam a incidência de luz solar em energia elétrica, sem poluição, sem resíduos e sem complicação. Contudo, alguns cuidados devem ser tomados em sua aplicação, a fim de evitar qualquer tipo de sombreamento que comprometa seu funcionamento.
Quer saber quais são esses cuidados e por que são tão importantes? Então acompanhe agora mesmo nosso post de hoje e se torne um expert no assunto:

Local ideal

No planejamento da instalação desse sistema, o local onde o painel será acomodado deve, antes de mais nada, ser criteriosamente analisado, considerando-se a incidência de luz nos diferentes períodos do dia, assim como nas quatro estações do ano. Dessa forma é possível aproveitar ao máximo o potencial dessa poderosa fonte.

Observação constante

Após esses cuidados iniciais serem tomados e a instalação for executada com êxito, é recomendável manter uma observação periódica no ambiente, a fim de prevenir que eventuais alterações ao redor possam provocar o sombreamento das células fotovoltaicas — como o crescimento de árvores ou a construção de novas edificações, por exemplo.

Mau tempo

A produção de energia também pode ser comprometida em consequência de dias nublados, mas esse é um fator natural simplesmente inevitável. Nesse caso, as células compostas de silício amorfo costumam lidar melhor com a situação do que as compostas por silício cristalino. Sem contar que já há tecnologias presentes no mercado que visam contornar de forma mais eficaz os impactos da produção em consequência do mau tempo.

Potência máxima

Uma tecnologia em crescimento e já presente em muitos inversores disponíveis no mercado é o Maximum Power Point Tracking (MPPT) ou Seguidor de Ponto de Potência Máxima (SPPM). Os inversores equipados com essa tecnologia são capazes de modificar o valor de tensão na saída dos painéis de forma que a potência produzida pelo sistema seja máxima. Assim se gera um volume consistente de energia utilizável, independentemente de bom ou mau tempo.

Conversão individual

Algumas empresas também disponibilizam microinversores capazes de captar e converter a energia de cada painel de forma individual, evitando possíveis perdas de energia decorrentes de sombreamentos. Geralmente painéis solares são conectados em série e a energia produzida por cada painel percorre toda a extensão até o inversor de conversão dessa sequência. Se ocorre um sombreamento sobre um painel, toda a produção de energia pode ser comprometida, pois, para operar corretamente, a carga recebida pelo inversor precisa ser igual em todas as unidades. Ao utilizar microinversores, a energia solar será convertida sem passar pelos outros painéis, evitando, assim, perdas de desempenho.
Ainda há muita evolução a ser feita no quesito vulnerabilidade ao tempo e aos fatores externos quando o assunto é painel solar, mas realizando uma boa escolha e tomando os devidos cuidados para sua instalação, é possível, sim, obter um ótimo resultado com a geração de energia solar, faça chuva ou faça sol.

Agora nos conte se ainda ficou alguma dúvida sobre o assunto! Tem dicas de mais cuidados a serem tomados ou de tecnologias sendo desenvolvidas para minimizar os impactos? Compartilhe suas sugestões e seus questionamentos conosco!

SolarVolt Energia
SolarVolt Energia

Empresa especializada em Energia Solar


Deixe um comentário

SAIBA MAIS SOBRE
ENERGIA SOLAR

Receba nossos e-mails com conteúdo sobre energia solar.