Conheça o maior hospital movido a Energia Solar no Mundo e entenda como ele consegue suprir toda a sua demanda de energia

Conheça o maior hospital movido a Energia Solar no Mundo e entenda como ele consegue suprir toda a sua demanda de energia

Atualmente, diversas empresas têm mudado a sua postura em relação ao meio ambiente e  adotado ações que causem menos danos ambientais. Procurar  por uma energia que seja  produzida de uma forma que não prejudique o planeta é uma das primeiras atitudes tomadas. Dessa forma, a energia solar passou a ser muito procurada por empresários de diversos setores da economia. Além de ser uma forma limpa de se produzir eletricidade, a energia solar, passado o período de retorno do investimento inicial, é uma das formas mais baratas de se produzir energia.

Por isso, assim como outros empreendimentos, muitos hospitais têm aderido a essa nova forma de produção de energia e estão utilizando a energia solar para o abastecimento. Hoje, vamos falar do maior hospital movido a Energia Solar no mundo, um empreendimento extraordinário, que tem servido de exemplo em todo os continentes. Ficou curioso? Então, confira este artigo até o fim.

O que é a energia solar?

 Bom, se você é um leigo no assunto, antes de falarmos do hospital, primeiro,  você precisa entender o que é a energia solar.  A energia solar é a energia gerada através da luz e calor do sol. Para isso, é feita a instalação de placas e de sistemas de captação de energia fotovoltaica,  transformando o calor e a luz em eletricidade.

A energia solar é considerada uma fonte de energia limpa, pois não causa nenhum dano ao meio ambiente. Devido a isso,  muitas empresas que procuram trabalhar de uma forma mais sustentável, estão adotando a energia solar como fonte principal ou secundária de energia. Se você quer se aprofundar mais no assunto, não deixe de conferir este artigo em nosso blog.

Mas afinal, qual o maior hospital movido a Energia Solar no Mundo?

O Hospital Universitário de Mirebalais, que é totalmente movido a energia solar, fica situado no Planalto Central do Haiti e brilha como uma luz de esperança neste país devastado por um terremoto e que sofre por décadas de desnutrição de sua população, pobreza, surtos de AIDS e a cólera.

O Hospital Universitário de Mirebalais fica localizado a 30km da capital Porto Príncipe e possui cerca de 1800 painéis fotovoltaicos instalados em seu telhado, que são capazes de produzir mais de 100% da necessidade diária de eletricidade que ele necessita.   

Hoje, utilizando apenas energia solar fotovoltaica, o hospital opera com 300 leitos de última geração, mais de 30 consultórios ambulatoriais e seis salas de cirurgia e é capaz de atender mais de 500 pacientes por dia.

Antes da implementação do sistema de produção de energia solar, o hospital contava com instabilidades elétricas que interferiam no atendimento aos pacientes, dificultando os cuidados da saúde da população local, pois era comum haver cortes de energia gerados pela precariedade das concessionárias locais. Além disso, devido a esses cortes, os equipamentos viviam sofrendo avarias causadas pelos problemas de fluxos intermitentes de energia.

Porém, nos dias de hoje, devido à grande infraestrutura do empreendimento, o Hospital Universitário de Mirebalais se tornou referência no mundo inteiro.  A obra foi planejada para que o hospital produzisse mais energia do que consome, resultando em acúmulo de energia que pode ser utilizado em outros setores da cidade. Vale lembrar que o Haiti é um país onde o sistema elétrico tradicional possui diversas falhas e a falta de energia é um problema frequente.

Engenharia de ponta para melhorar os serviços de saúde juntamente com eficiência de produção energética

O Hospital Universitário foi eleito o  maior hospital operado a energia solar do mundo, capaz de produzir mais de 100% das suas necessidades de energia durante os horários mais ensolarados do dia. Além disso, o telhado é coberto por um revestimento branco que além de ajudar a tornar o interior do prédio mais fresco, torna os painéis solares até 15% mais eficientes na produção de eletricidade. Com os 1800 painéis solares no telhado, o hospital produz energia extra que volta para a rede elétrica, ajudando a fortalecer a infraestrutura local.

O projeto de tecnologia verde do hospital incorpora medidas de conservação de eletricidade, encanamentos com baixo consumo de água, aproveitamento da ventilação, iluminação natural  e um sistema de energia solar que está entre os projetos solares mais ambiciosos do setor de saúde já realizados em um país em desenvolvimento. Na verdade, de acordo com dados disponíveis publicamente, o Hospital Universitário de Mirebalais é o maior hospital do mundo movido inteiramente por energia solar.

Trabalhando com o Ministério da Saúde, o hospital escolheu usar a energia solar como uma forma confiável, econômica e ambientalmente responsável de ajudar a fornecer energia às instalações e evitar o transtorno e perigo dos apagões frequentes do Haiti. 

Treinamento dos funcionários 

Além de tornar o atendimento médico de alta qualidade acessível aos haitianos por meio de tecnologias baratas como a de energia solar, o Hospital Universitário tem por meta fortalecer a  estrutura de saúde pública do Haiti por meio de capacitações para médicos, enfermeiros e todos os outros profissionais que atuam no hospital.

Diversas salas de aula no piso superior do hospital são equipadas com recursos de Internet de alta velocidade e videoconferência, que permitem que alunos haitianos de enfermagem e medicina participem de palestras em escolas de medicina dos EUA. Além disso, há capacitações permanentes para todos os funcionários sobre práticas econômicas e sustentáveis de operacionalização dos equipamentos e recursos que o hospital oferece. 

Sustentabilidade, eficiência e economia como ferramentas de desenvolvimento

Além da produção da sua própria energia, o hospital conta com outros sistemas para baratear os custos e atender cada vez melhor os habitantes do Haiti:

1 – O sistema de tratamento de águas residuais Cada ml de água residual produzida no Hospital Universitário – seja de um banheiro, pia da sala de cirurgia ou roupa suja – passa por um sistema de baixo consumo de energia e pouca manutenção.

A água primeiro entra em um processo de tratamento biológico conhecido como digestão aeróbia, no qual bactérias cultivadas naturalmente decompõem resíduos orgânicos e devoram organismos patogênicos, como Vibrio cholerae – a bactéria que causa a cólera. A partir daí, a água é tratada com cloro para posterior desinfecção. No momento, o sistema pode tratar 50.000 galões de águas residuais por dia, de acordo com os padrões da EPA (Environmental Protection Agency – Agência de proteção Ambiental)  dos EUA. Se necessário, ele pode ser expandido para tratar 75.000 galões por dia. O benefício imediato é que o sistema de tratamento de águas residuais reduz significativamente a ameaça de doenças transmitidas pela água, como cólera e disenteria, duas doenças bastante comuns no Haiti.

2 – Incinerador – O Hospital Universitário utiliza em sua estrutura um incinerador para descarte adequado dos resíduos médicos com risco biológico e também de instrumentos cortantes, incluindo seringas e bisturis. O sistema atende aos padrões de emissão da EPA dos EUA. Os resíduos são queimados em um fogo controlado na primeira câmara da máquina. A fumaça resultante é capturada em uma segunda câmara que chega a 1.000 graus Celsius e, basicamente, é vaporizada. O resultado final é vapor e uma pequena pilha de cinzas. O descarte adequado do lixo hospitalar é extremamente importante, mas muitos centros de saúde no Haiti não possuem o equipamento necessário para isso. Não é incomum que dejetos humanos sejam misturados com instrumentos pontiagudos e lixo e, em seguida, queimados em dispositivos brutos ou fossas de lixo. Os gases nocivos são prejudiciais à saúde humana e ao meio ambiente.

3 – Rede de internet com fibra óptica – A rede de fibra óptica fornece acesso de alta velocidade à Internet em todas as instalações. De alta tecnologia e resiliente, o sistema de TI do University Hospital oferece suporte a tudo, desde registro de pacientes e gerenciamento de inventário até radiografia digital. No dia a dia, a rede melhora a eficiência e facilita o monitoramento, avaliação e projetos de melhoria da qualidade. Os médicos haitianos poderão consultar parceiros em Boston e outros centros médicos por meio de videoconferência e outras tecnologias digitais diretamente das salas de cirurgia e salas de aula do hospital.

4- Sistema de gás hospitalar – Outro grande ativo do Hospital Universitário é o concentrador de oxigênio, um dispositivo que remove o nitrogênio do ar para produzir oxigênio de grau médico. Um labirinto de tubos de cobre e linhas de vácuo e ar (escondidos atrás das paredes) garantem que os pacientes que precisam de oxigênio tenham acesso rápido a ele, estejam eles se submetendo a uma cirurgia ou internados em CTI, sendo atendidos no pronto-socorro ou em recuperação.

Em hospitais e clínicas, o consumo de energia elétrica é extremamente alto devido aos aparelhos hospitalares, além, é claro, do grande uso de lâmpadas e ares-condicionados para maior conforto dos pacientes. Por isso, o gasto com energia elétrica pode  custar centenas de milhares de reais na receita anual.

Dessa forma, gerar a energia por meio de sistemas fotovoltaicos, que permitem a redução de gastos com energia, é uma ótima maneira que gestores podem encontrar para administrar melhor os recursos e melhorar a eficiência dos serviços.

Quer conhecer mais sobre como investir em energia solar no Brasil? Fale com a SolarVolt!

Revisado por:

SolarVolt Energia
SolarVolt Energia

Empresa especializada em Energia Solar


Deixe um comentário

SAIBA MAIS SOBRE
ENERGIA SOLAR

Receba nossos e-mails com conteúdo sobre energia solar.